sexta-feira, julho 20, 2007

Abstração

Busquei ultrapassar os limites ordinários brincando de metafísica no toque das cordas do meu violão. Sonhei que era poeta das palavras, do som dos acordes. Pus-me em harmonia com a sonoridade. Tornei-me um som intenso através das mãos, tocando o abstrato, à solidão. Tocando onde tinha vontade. O corpo, a alma e a ilusão. Brincando de ultrapassar a realidade determinada, fiz da metafísica mais que uma palavra. Ninguém via quando eu entrava, se ficava ou, se saía. Transmudei minha alma para a melodia.

Um comentário:

Daniel Schuchter disse...

...

metafísica...microfísica...ondas... realidade...