domingo, dezembro 14, 2008

[desatando os nós]

Se escrevo hoje é para que entenda em que parte do acaso me deixou partir.
Assim, sem estar na hora certa, o ponteiro já aponta ao nosso caso sem se despedir.
Se é você que não tem um momento só teu, se sou eu que estou nas horas longe de ti.
Já foi, foi há tanto tempo atrás que agora as horas que batem não marcam mais as nossas.
Tudo agora é tão seu e tão meu, tudo tão duro e forte, agora é só você e só eu.
Nada de tão épico assim, só dois novamente.
Uma xícara de chá, meia porção de comida num prato só na mesa.
Tua cadeira escondida debaixo da toalha manchada de cinzas.
Ah, as cinzas. Elas não voam mais em par pela sua janela.
Do alto dela, ela se ilumina só até o chão.
Tudo tão vão, tão vil, tão são.
Teu armário ainda tem um vazio. Minhas roupas não se misturam mais ao teu cheiro de manhã.
Somos só dois, mais metade do que imaginamos antes de ser par.
Sem lágrimas. O sal secou no travesseiro há um tempo atrás.
Sem mais.
Teu telefone eu nunca decorei, não consigo me ligar aos teus números tão exatos.
Foi o exato que nos deixou céticos, sei bem.
Não lembro mais como era o teu olhar pra mim, não lembro dos teus olhos.
Sei como era te olhar, mas não consigo me recordar das nossas coisas pequenas.
Se a tua dor foi grande, não sei.
Não ganhamos a capa de livro algum. Nosso romance não preencheu mais que dez páginas escritas com letras borradas.
Se eu já escrevi algo sobre nós, não foi sobre nós o que ficou.
Somos dois agora. Eu e as minhas palavras confusas, você com tuas melodias tão certas.
Eu com dois corações, intactos, intocáveis.
E desatamos os nós. Agora somos nós. Eis que chegamos a um fim não trágico, não dramático.
Sem emoções. Não respondo as tuas canções de amor. Não escuto mais no escuro as ruas me chamando até a tua casa.
Se eu nunca te respondi,
é porque só hoje eu entendi que você, não teu acaso, foi quem me deixou partir.

3 comentários:

carol~ disse...

você é incrível. nunca duvidei disso, só me faltava participar, sentir... misturar as tuas cores com as minhas. as nossas!

às vezes é tudo tão igual que me confundo, sem saber qual é a minha história ou qual é a tua.

:*

chromatic_F disse...

Lembrei de uma música:
I want to be a good woman and I want, for you to be a good man. This is why I will be leaving and this is why, I can’t see you no more. I will miss your heart so tender and I will love this love forever.

Bic Muller disse...

queridos. =)