segunda-feira, junho 01, 2009

[mais um inverno]


Enquanto tudo estava desabando, corações quebrando em pedaços afiados, o estranho frio atravessando nossos poros e a manhã cinza batendo na janela, ele corria para dentro.
Era estranho lá. Fechado, sombrio.
Ele caminhava por aquele lugar árido em busca das pequenas lembranças que pudessem resgatá-lo de volta à tona.
Toda vez que vinha à tona, ele pensava que a melancolia que havia dentro dele era tudo o que realmente pertencia ao seu coração.
Então ele corria novamente.
Gelava a pele contra o vento, contra cada espaço que ainda restava das manhãs felizes, do cheiro de outro alguém que ainda se escondia no travesseiro, de poemas escondidos na gaveta.
Abria a porta, deixava o inverno entrar e congelar tudo outra vez.
Passava pela rua aonde morava aquela pessoa, desviava pouco o olhar com medo de encontrá-la no portão.
Roubava pequenas frases na esperança contida de não haver ninguém naquele coração, não por egoísmo, mas por preferir não ver o sorriso apaixonado que um dia foi dele, olhando os olhos de outra pessoa.
Horizontes não o contentam mais. Paralelos cabem mais.
Um bom conhaque para tentar esquentar o pouco que restou.
Tentar abraçá-la em sonho já não adianta mais, pois ao abrir os olhos e ver que o outro canto está frio só o deixa mais vazio por dentro.
Ele pensa em telefonar. Pensa em contar o seu dia e as suas vontades, mas e se ela não atender?
Ele tenta esquecer, mas quando vê alguém parecido na rua, frio na barriga é inevitável.
Será que ela ainda se lembra das promessas que eu quebrei?
Será que ainda chora por eu ter sido cruel e leviano com seus sentimentos?
Então ele pensa em encontrá-la por acaso, mas o acaso não ajuda.
Ela sumiu, se foi. Ela correu também.
Correu para não correr riscos. Correu com o coração em pedaços e desapareceu de manhã.
Foi rápido, os meses arrastaram o inverno para perto.
E ele pensa se o tempo passou dentro dela ou se dentro do deserto que ela criou ele ainda vive também.

5 comentários:

Tiago Inforzato disse...

Aprendi "As The World Falls Down" no piano hoje... aí vim aqui e vi a coruja da foto.
Eu me espanto com esse mundo. Você não!? :c)

Papagaio Mudo disse...

meio David Linch, não é? você tenta esquecer sua ex-namorada e onde você vai encontr o nome dela.
ex.:
Madonald's, a atendente se chama Francine (você vê pelo crachá).
Passa onde sempre passava e vê que aquela lanchonete se chama?? Francine Lanches
Voltando pra casa entra em um café novo que no que abriram, só não te disseram que chama Fran's.
Vai ao cinema, a atriz revelação, desconhecida (você fica até o final pra ver os créditos) se chama Francine e tem sobrenome francês, igual a sua ex-

essa situação te persegue inderterminadamente. Cada um tem um 'tempo' próprio.

Bic Müler,

Küsse

und, Auf Wiedersehen!

Gustavo

Papagaio Mudo disse...

Tiago ha infomato che

...molta infomazioni...

Papagaio Mudo disse...

emagreça dormindo é um oximorum, senteça que contem duas figuras de liguaguem aparentemente contrastantes. Tipo,
"ganhe dinheiro sem trabalhar"
"aprenda alemão em 3 dias"
"emagreça dormindo...

Abraços,

Gustavo

ps: apareça no papagaio para um chá com bobagens...

Papagaio Mudo disse...

sentença*