sexta-feira, julho 13, 2012

.odeio ódio, amo bacon.

Odeio acordar cedo. Amo bacon.
Sempre odiei acordar cedo, mas nao me lembro de amar tanto bacon antes do instagram.
Nao me lembro de odiar tantas coisas antes da internet.
Será que a internet está nos causando mais ódio? Será que realmente odiamos tantas coisas assim?
Será que esquecemos que o contrario de gostar é simplesmente não gostar?
Não gosto de maçã na maionese, não gosto de água com gás, sem gás.
Não gosto de pimentão.
Mas gostar mais de Nescau não significa que eu odeie o Toddy.
Gostar da Madonna não significa odiar a lady gaga.
Ódio nos torna intolerantes. Intolerância nos torna burros, porque é burrice escolher um lado numa guerra que nao existe.
"sempre odiei tal pessoa da internet"
Opa, sempre? Mas em qual dos zero encontros que teve com esta pessoa exatamente você passou a odiar? 

Para odiar, é necessário conhecer, para saber no seu íntimo o que foi que este outro causou em você.
Antigamente ódio era para poucos, amor tambem, como deveria ser.
Estamos banalizando o ódio.
Odeio acordar cedo. Odeio quando o despertador toca. Odeio segunda-feira. Odeio quando eu to odiando algo e alguém não odeia tambem.
Tanto o ódio quanto o amor elevados a máxima potência dos sentimentos banalizados.
Lembro que quando eu era criança, amava os backstreet boys.
Amava, tinha cartazes deles colados na porta do armário e sonhava secretamente em casar com o Nick.
Mas era isso. Sabia as musicas, aprendi as coreografias, mas era isso.
Hoje nao basta amar. Tem que idolatrar o ídolo. Nao basta ser fã, tem que ser fanático por ele.
Não basta gostar, tem que xingar quem nao gosta.
Odeio quem odeia a Cláudia Leitte.
Eu odeio, tu odeias, ele odeia.
Todos nós odiamos mais depois da internet.
Tudo extremo. Tudo extremamente raso.
E nesse tanto céu ou tão inferno, ficamos presos num limbo de pequenos ódios gratuitos.  

Banalizamos tudo, até o ódio. Ninguém gosta mais, gostar é feio.
Nao gosto de você, então odeio.

5 comentários:

Marcelo Arantes disse...

Odiei nao ter odiado nada!

Unknown disse...

Mt bom!! sou fã da Bic!!

Unknown disse...

Nossa, tenho pensado nisso nas últimas semanas, penso que não tenho uma coisa que eu ame ao extremo, nem uma que eu odeie com todas as minhas forças, achei que eu era anormal, agora vejo que eu sou a normal! =)

Ju Freitas disse...

Amei. hahaha! E amor, pra mim, ainda é para poucos.

Larissa Kaczan disse...

Disse tudo, o ódio e o amor banalizaram