sexta-feira, novembro 14, 2008

[ a posse do eu ]


“Eu” deveria ser a primeira palavra a saltar da boca dos homens.
“Meu” deveria ser a segunda.
O “Teu” deveria ser o “Meu”.
Mas não é!
E “Eu”,
Não sou “Teu”.

Apesar de indivisível “Eu”,
Encontro o “Teu” para somar.
E toda soma se divide.

Há um finito de “Nós” em mim,
Entrelaçados “Eu”.
Carregando o “Meu” que não é “Teu”.
O quão difícil é ser fiel a mim,
O sendo a ti?

Eis o “Seu” lado.
Eis o “Meu” oposto e também.
Veja a soma de nossa possessividade,
E a sombra do outro,
Que reflete em “Nós”.

Um comentário:

chromatic_F disse...

egomania colore a vida :D